Bem que o Marden falava que o México era tudo de bom. As pessoas, a cultura, a história, a gastronomia e as tradições. Eu também amei o México! Guadalajara é o tipo de cidade que gosto, cosmopolita e com muita história pelas ruas.

Capital do estado de Jalisco, a oeste do México, Guadalajara é a segunda maior cidade do país, atrás apenas da Cidade do México. Com 1,5 milhão de habitantes, as construções coloniais, datadas do século XVI, resistem lindamente no skyline da cidade.

Uma viagem a Guadalajara pode ser combinada com vários bate-voltas para lugares incríveis como Tequila, Tlaquepaque, Ilha de Mezcala e Guachimontones, a cerca de 1 hora cada.

GUADALAJARA

Palacio do Gobierno de Jalisco

O Palacio do Gobierno de Jalisco, na Plaza de Armas, é um dos lugares mais lindos que já conheci. A coleção de painéis espalhada por todas as salas é impressionante. São pinturas enormes, feitas pelo artista local José Clemente Orozco, que retratam a época da pós Revolução Mexicana, em 1920, e pretendia despertar o amor das pessoas pelo país.

Catedral Basílica La Asunción de María

A Catedral Basílica La Asunción de María é uma imponente construção de pedra do século XVI, com icônicas torres amarelas. Em seu interior o destaque é o corpo de Santa Inocência, embalsamado a mais de 300 anos, símbolo de devoção do México, pois representa a pureza das crianças.

Instituto Cultural Cabañas

O Instituto Cultural Cabañas, na Plaza Tapatia, é Patrimônio Mundial da Humanidade e guarda a obra prima do muralismo mexicano, feita por José Clemente Orozco. Uma pintura na abóboda da igreja, com ilusão de ótica. De qualquer um dos pontos que se olha se vê o pé no homem de fogo virado para você.

Mercado Libertad / San Juan de Dios

O Mercado Libertad / San Juan de Dios é a síntese do México. Pelos corredores estreitos estão centenas de barracas, que vendem artigos para charrería, esporte tradicional do país, tipo rodeio, com celas que chegam a custar R$ 10 mil. Tem ainda os sombreiros, os ponchos, os souvenires de caveira, as comidas típicas como as tortas ahogadas, sanduíche a base de pão com carne de porco e molho picante, e os mariachis cantando no pátio.

Onde comer em Guadalajara, México

Tacos Providencia

Uma das comidas mais conhecidas do México, os tacos nada mais são que tortilhas de milho recheadas na maioria das vezes com carne de porco e frango. Vem acompanhadas de vinagrete e chilis com os mais variados graus de picância.


La Postrería

Super vanguardista, este espaço mescla gastronomia molecular e ambiente hipster. Os pratos são totalmente diferentes de tudo que já comi, e são feitos pelos chefs aos olhos do cliente. A melhor opção é pedir o menu, para provar delicias como o macaron com essência de incenso. www.lapostreriagdl.com


Santo Coyote

Este é um lugar surpreendente que através da comida, da bebida, da música e da dança apresenta toda energia do país. São diversas ambientes decorados misturando o divino e o profano. Os garçons preparam o guacamole na mesa, de acordo com o gosto do cliente. www.santocoyote.com.mx

Onde se hospedar em Guadalajara

NH Hotel

Com excelente localização, no centro histórico de Guadalajara, este hotel é todo modernoso, quartos espaçosos, amenites cheirosos, internet boa e um café da manhã dos deuses, servido no terraço, com vista para a Plaza de Armas. www.nh-hoteles.pt

TEQUILA

Até antes do convite para esta viagem, eu achava que tequila era somente o nome da bebida mais conhecida do México, mas descobri que Tequila é uma cidadezinha histórica, muito charmosa, a 40 minutos de Guadalajara.

É claro que a bebida que tem este nome foi criada lá, em 1758, por José Cuervo, marca bem conhecido pelos brasileiros. Com ruas de paralelepípedo e casinhas coloridas, a cidade lembra Tiradentes. Tem até um trem turístico que liga Tequila à Guadalajara, na qual o trajeto custa 950 pesos, cerca de 190 reais.

A principal atração é o Mundo Cuervo, fábrica de tequila, onde você conhece todo o processo de produção da bebida, e no final faz uma degustação comparativa entre os três tipos existentes: blanco – direto do alambique para a garrafa, reposado – envelhecida em barris por 6 meses e añejo – envelhecida em barris por 18 meses.

Outro atrativo são os campos de agave azul, planta utilizada na produção da tequila. Durante todo o trajeto é possível ver as fazendas tomadas por um cinza azulado da planta, que parece um abacaxi gigante.

Onde comer em Tequila, México

La Antigua Casona

Este lindo restaurante, na praça principal da cidade, oferece o que tem de melhor da gastronomia mexicana. Anexo ao Solar de las Ánimas, fica em um pátio central, com mesas dispostas em volta de uma fonte.

Onde se hospedar em Tequila, México

Solar de las Ánimas

O hotel faz parte da exclusiva associação Relais & Chateaux, que reúne hotéis boutique em volta do globo. O Solar tem acomodações personalizadas e até um oratório/bar. www.hotelsolardelasanimas.com

TLAQUEPAQUE

Como não amar Tlaquepaque? Primeiro porque o nome é quase um trava língua e caiu no gosto do nosso grupo, que agora usa a palavra para designar quase tudo de bom que acontece.

A cidadezinha colonial tem uma via principal, Andador Independencia, onde estão as galerias de arte, lojas de artesanato, bares e restaurantes. Além das lojas, você encontra pessoas vendendo seus trabalhos como pinturas, bordados e bijuterias em tendas espalhadas pelo calçadão.

O Museo Regional de la Ceramica reúne objetos da era pré-hispânica até os dias atuais. Um dos destaques são as miniaturas, que retratam com riqueza de detalhes o dia a dia da população.

Ao final das compras, você pode descansar em um dos restaurantes do El Parián, mercado localizado no final da rua fechada para pedestres. Além de se deliciar com as comidas típicas, poderá ainda ouvir o som dos mariachis.

Onde comer em Tlaquepaque, México

Casa Luna

Este restaurante é um espetáculo! Tanto pela decoração que beira o brega e remete a enfeites de Natal, mas tem uma pompa única que a transforma em chic, quanto pela orgia gastronômica, que se vive ali. São pratos e mais pratos deliciosos, que chegam lindamente à mesa.

ILHA DE MEZCALA

A Ilha de Mezcala guarda ruínas do que um dia foi um forte e uma prisão. O lugar tem uma energia muito forte, que pode ser sentida em sua máxima, no círculo onde eram feitos os altares de sacrifício.

Para se chegar a ilha, você desce na cidade de Poncitlán e pega um barquinho para fazer a travessia. Se o lago tiver agitado, você terá uma travessia emocionante, como foi a nossa.

Do alto do forte se tem uma vista maravilhosa da região. Prepare a câmera, pois a combinação das ruínas com o Lago de Chapala, maior lago do México, rendem fotos espetaculares.

Depois do passeio pela ilha, Ajijic merece uma visita. O povoado a beira lago que tem estampado em suas paredes pinturas do cotidiano mexicano, agrada os turistas que descem da praça até o calçadão observando a arte. No trajeto inúmeros bares, restaurantes e lojinhas de artesanato deixam o passeio ainda mais agradável.

Onde comer na Ilha de Mezcala, México

La Vita Bella

Este restaurante tem uma vista de dar inveja. Lá você pode almoçar de frente para o lago, com o vulcão Cerro Viejo ao fundo, um deleite para os olhos. As pastas produzidas na hora ficam secando na janela da cozinha, e quando combinadas com um salmão, fica deliciosa. www.lavitabella.mx

GUACHIMONTONES

Este foi o meu lugar preferido no México! Cheio de simbolismo e de magia. Não sei se foi porque tivemos um dos guias de turismo mais sábios que já conheci, o Salvador, mas Guachimonontes, com seu sítio arqueológico de 350 a.C., ganhou meu coração.

Aqui está a única pirâmide circular do mundo, com 10 metros de altura, 38 metros de largura e 52 degraus, rodeado por 10 plataformas retangulares. O lugar é magnífico, e guarda muitas histórias da Tradicion Teuchitlan, povos que habitavam a região na época da construção das pirâmides.

O lugar tem ainda um espaço que era usado para o jogo de pelotas, tipo futebol, mas jogado com a cintura. Muitas das vezes o vencedor era oferecido aos deuses como recompensa, por ser o melhor da tribo, e acabava sendo sacrificado e canibalizado pelos colegas.

Como pode há tantos anos este povo ter construído estas pirâmides que estão de pé até hoje? Eles eram muito inteligentes, e souberam perpetuar sua história, encantando pessoas de todo o mundo que passam por lá hoje para ver estas maravilhas.

HOTÉIS FAZENDA DE LUXO EM GUADALAJARA

Se você é daqueles que adoram luxo e exclusividade, Guadalajara também é seu destino! No entorno da cidade existem diversos hotéis fazenda que são refúgios para os hóspedes.

Na Hacienda El Carmen o enorme casarão de tijolinho a vista e um amarelo ocre surpreende quem chega. São 10 janelas enfileiradas, além de um imenso jardim, que tem até arqueduto. Os quartos são todos muito bem decorados, o restaurante é divino, e tem vários espaços para eventos, mas a melhor parte daqui é o spa, que oferece banhos e massagens relaxantes. www.haciendaelcarmen.com.mx

A Hacienda Lomajim fica de frente para penhascos vertiginosos, de tirar o fôlego. As acomodações são todas luxuosamente decoradas. E a gastronomia é comandada por um time de chefs que apresentam o melhor da culinária internacional. A igrejinha da propriedade e o espaço para eventos de até 600 convidados, tem atraído cada vez mais noivas que procuram por um casamento exclusivo. www.haciendalomajim.com

ÍCONES MEXICANOS

Tequila

Em 1978 foi instituída a denominação de origem da Tequila, na qual só as bebidas produzidas na região podem ter este nome. Por ano, são 200 milhões de litros exportados para o mundo todo. Este destilado do agave azul deve ser degustado em shots ou combinados em drinks como a margarita.

Mariachis

Os Mariachis, são símbolo da música mexicana, e reconhecidos como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, desde 2011. Geralmente em grupo de 10 pessoas, vestidos com ternos de blaser curto e calça justa, tocam e cantam músicas típicas em praças e restaurantes das cidades. Você pode pagar para os mariachis tocarem pra você, cerca de 150 pesos mexicanos por música, 30 reais.

Charreria

A Charreria é um esporte mexicano parecido com o rodeio, no qual os participantes mostram suas habilidades com montaria, laço e manejo do gado. Os apetrechos como selas, roupas, botas e chapéus são todos trabalhados nos detalhes, com bordados coloridos e brilhantes.

*A repórter viajou a convite do Conselho de Promoção Turística do México, das Secretarias de Turismo de Jalisco e de Guadalajara e da Copa Airlines.