Ah Miami! A cidade está no imaginário de quase todo brasileiro! Desde a época em que nossos conterrâneos saíam daqui para fazer dinheiro na América e, mais recentemente, com a moda de ter filho lá, fato é que a mais latina das cidades do Estado Unidos é desejo da maioria dos brasileiros.

Confesso que da primeira vez que fui, em 2015, não achei muita graça. Talvez porque cheguei lá com pouco dinheiro, pois já tinha gastado quase tudo nos 10 dias que passei nos parques de Orlando, antes de seguir para lá.

Só sei que quando voltei, em 2018, minhas impressões mudaram completamente. Amei a cidade! O clima descolado e chique ao mesmo tempo, me pegou. O sol brilha o ano inteiro, o que garante dias de muito calor e diversão, na capital mundial dos cruzeiros marítimos!

Caminhar pelas ruas de Miami Beach, de Wynwood e de Brickell foi pura diversão. Isso sem falar das inúmeras idas aos shoppings, para renovar o guarda roupas e comprar equipamentos. 

O que fazer em Miami

MIAMI BEACH

O clima de Miami Beach é algo contagiante. Pessoas bronzeadas, com roupas coloridas, circulam entre a areia da praia e a Lincoln Road, 12 quarteirões exclusivos para pedestres e lotados de lojas e de restaurantes.

Lincoln Road

Um dia perfeito lá inclui um passeio de bicicleta pelo calçadão (6,50 dólares a hora), uma esticadinha na areia pra ficar da cor do pecado, comprinhas na Lincoln Road (não deixe de ver as lojas conceito da Apple e da Nespresso) e balada regada a drinks servidos naquelas taças imensas.

Collins Avenue e Española Way

Vale também caminhar pela Collins Avenue, a avenida principal de Miami Beach, onde ficam os muitos hotéis, lojas e restaurantes. Dê uma passadinha na Española Way, ruazinha charmosa com restaurantes moderninhos!

Praia

A praia é bem diferente do Brasil. Não tem quiosques e nem vendedores ambulantes, mas tem protetor solar, bebedouro e banheiro gratuitos. E aquelas casinhas de madeira coloridas dos salva-vidas, que são a marca do destino.

Ocean Drive

Carrões conversíveis são vistos o tempo todo nas ruas, com coroas ostentando seus colares de ouro e sua namorada gostosona do lado. Mas não se intimide, pois a cidade abriga todas as tribos, sem preconceitos.

Quando a noite cai os neons que enfeitam os mais de 800 predinhos Art Déco, deixam o lugar ainda mais festivo. É nesta hora que a Ocean Drive, avenida à beira mar, ferve com as baladas liberais. 

Shake Shack

Na Lenox Avenue, esquina com a Lincoln Road fica uma unidade do famosíssimo sanduíche novaiorquino, o Shake Shack. Quando você olha parece só mais um hambúrguer, mas o sabor é bem diferente. Comi o suculento Shroom Burger (U$ 7,29), acompanhado de batatas fritas com queijo e bacon ($ 4,89), e um milkshake de caramelo com flor de sal ($ 5,29), que não sai da minha lembrança.

Trolley

Outro passeio legal é o de trolley, com quatro linhas diferentes (norte, centro, sul e express), que passa por toda a ilha de Miami Beach. Você pode subir e descer em qualquer ponto, sem pagar nada!

WYNWOOD

O bairro mais hispter de Miami tem que estar no seu roteiro pela cidade. São dezenas de murais grafitados, ao longo de 16 quarteirões. Mas o burburinho se concentra no entorno do Wynwood Walls, que fica na 2ª Avenida entre as Ruas 25 e a 26.

O Wynwood é uma galeria a céu aberto, com lindos e enormes murais, pintados por mais de 50 artistas do mundo todo. De tempos em tempos eles renovam os painéis, mas sempre tem algo incrível para ver.

Artistas brasileiros como Os Gêmeos e o Kobra, já deram suas pinceladas por lá. O legal é ir caminhando e descobrindo um novo grafite a cada esquina. 

The Salty Donut

A região tem atraído muitos bares e restaurantes interessantes. Foi lá que comemos o donuts mais cobiçado de Miami, no The Salty Donut, na rua 23. Sempre tem fila para comprar as argolas fofinhas com coberturas que saltam aos olhos. Experimentei o de maple + bacon ($ 3,5) e o de chocolate com avelã ($ 4,25), que estavam maravilhosos. Para acompanhar fui de chá gelado de tangerina com limão ($ 5). 

Taiyaki NYC

Outra boa pedida foi o Taiyaki NYC, curioso sorvete japonês, com casquinha em formato de rabo de peixe, recheada com pasta de feijão ($8). Tem sabores como chá verde e gergelim preto. E o arremate com confeitos em formato de unicórnio deixa o quitute ainda mais instagramer. 

DOWNTOWN E BRICKELL

Bayside Marketplace

Meu passeio pelo centro de Miami começou no Bayside Marketplace, um shopping ao ar livre, com vista para o porto. Além de muitas lojas, lá estão típicas redes de restaurantes americanos, como o Hard Rock Café, o Hooters, o Bubba Gump e o Fibe Guys.

É de lá que saem os passeios de barco ($ 38), que passam pelas mansões dos ricos e famosos. E o ônibus turístico ($ 44), que percorre os principais pontos de interesse da cidade. Já tinha feito os dois da outra vez, e achei que não valia repetir. 

Freedom Tower e American Airlines Arena

Ali do lado, no próprio Biscayne Boulevard, ficam a Freedom Tower, um lindo edifício histórico, que hoje abriga o Museu de Arte e Design e, em frente a ela, está a American Airlines Arena, casa do Miami Heat, onde são realizados os jogos de basquete da National Basketball Association (NBA). 

Brickel

Caminhando na direção oposta, chegamos ao Brickel, centro financeiro da cidade. Ficamos boquiabertos com a quantidade de arranha céus espelhados, que pareciam competir entre si para ver qual era o mais alto.

Brickell City Centre

Pessoas engravatadas corriam de um lado para o outro, para fechar seus negócios. Foi interessante conhecer este lado corporativo de Miami. Ali também ficam muitos hotéis 5 estrelas da cidade, e um shopping supermoderno, o Brickell City Centre.

Lá almoçamos no Casa Tua Cucina, uma espécie de Eataly, que tinha de café a drinks, e de sanduíches a pratos elaborados. Comi um delicioso tagliolini a carbonara ($ 17), acompanhado de uma taça de vinho rosé ($ 6), que estavam deliciosos. 

Metromover

Uma forma interessante para se conhecer o centro da cidade é pegar o Metromover, um trem gratuito, com quatro linhas que circulam por todo o bairro. Você pode subir e descer onde quiser.

COMPRAS EM MIAMI

Estados Unidos é sinônimo de compras para brasileiros. Lá costumamos comprar os mesmos produtos vendidos no Brasil, mas pela metade do preço, além de ítens que não tem por aqui. Então é claro que fui às compras.

Dolphin Mall

Fui umas quatro vezes no Dolphin Mall. Comprei de tudo, de calcinha à gopro, passando por roupas, tênis, bolsa e malas. Isso porque sou controlada nos gastos, adepta do minimalismo e do desapego.

Quando chegar ao shopping a dica é ir direto no balcão de informações, apresentar seu passaporte, e pegar o guia de descontos. O livrinho tem ofertas de quase todas as lojas, e elas somam com os descontos já oferecidos nas vitrines. O que garante em média uns 50% a menos na maioria dos produtos.

Sawgrass Mills

Outro shopping que visitei foi o Sawgrass Mills, que fica a 40 minutos de Miami. Ele é o maior outlet da Flórida, com mais de 350 lojas, incluindo uma seção com grifes de luxo, como Prada, Gucci e Dolce & Gabbana.

Lojas como Thommy Hilfiger, Victoria´s Secret, Calvin Klein, Kipling e Nike são paradas certas para os brazucas. Isso sem falar das lojas de departamento, como a Marshalls, a Ross e a BrandsMart. 

BestBuy

Para eletrônicos prefira a BestBuy, que tem preços melhores que lojas menores. E se você gosta de cosméticos, dê uma passada no Walgreens, uma mistura de farmácia e loja, que enlouquece a mulherada.

Para comprar comidinhas, uma boa pedida é ir ao supermercado. Fui algumas vezes no Publix, e comprei muitos chocolates, além de cerveja artesanal e cafés gelados. Desta vez não fui ao Walmart, mas lá você acha de tudo, até itens de cozinha, cama, mesa e banho.

Dicas

O ideal é ficar pelo menos uma semana em Miami. Além dos passeios que fiz você pode conhecer Design District, Bal Harbour, Little Havana, Coral Gables, Coconut Grove e Key Biscayne

Esticadinhas para ver os crocodilos em Everglades National Park, as fazendas de orgânicos em Homestead, e o ponto mais ao sul dos EUA em Key West, também valem a pena!

Mapa dos atrativos de Miami

ONDE SE HOSPEDAR EM MIAMI

W South Beach

Amei me hospedar no W South Beach, um luxuoso hotel, que fica na Collins Avenue, de frente para a praia. Ele tem 408 quartos, spa, restaurantes, quadras de basquete e tênis, piscinas, sauna, boate, academia e bicicletas. 

A suíte é linda e enorme, com objetos de decoração modernos e uma varanda que da para o mar. O banheiro tem bancada de mármore, duas pias e chuveiro multi duchas. Na mini cozinha estavam sempre disponíveis café e chá. 

O hotel tem também uma ótima estrutura na praia, com cadeiras, guarda-sóis e toalhas para hóspedes. Além do serviço de bar, com garçons que atendem na areia. A piscina do hotel é um convite para refrescar no fim da tarde, quando se chega dos passeios.  

A diária custa a partir de U$ 400, e o café da manhã é cobrado a parte. Pedi o café no quarto para duas pessoas (U$ 52) e veio com ovos mexidos, bacon, café, leite, chá, suco, torrada, manteiga, mel e geleias.

Veja mais opções de hotéis, valores das diárias e faça sua reserva aqui

Booking.com

VÔO BH X MIAMI

A Copa Airlines tem voos diários, que saem de Belo Horizonte para Miami, com conexão na Cidade do Panamá. A viagem dura cerca de 10 horas e custa a partir de U$ 750 na econômica e U$ 1.640 na executiva.

Voei de classe executiva, que tem poltronas maiores e mais confortáveis e serviços diferenciados como menu com entrada, prato principal e sobremesa, bebidas premium e necessite com amenites. Além de acesso ao Club Copa, uma sala vip no aeroporto de Tucumén, no Panamá, com comidas e bebidas liberadas, chuveiro, internet, e salas de descanso.

Viagens realizadas por Luana Bastos e Marden Couto em junho de 2015 e agosto de 2018
 

Mais destinos pela América do Norte